Psicologia, Saúde, Vida

Fatores psicológicos para o emagrecimento

*Por Priscilla Andrade Camilo

Nunca ouviu-se tanto falar em saúde integral do indivíduo. Quem me conhece, me acompanha de perto e que faz acompanhamento psicoterapêutico comigo, sabe que trabalho sempre o indivíduo de forma integral. Corpo, alma e mente. Faz parte do meu trabalho essa percepção, pois é assim que eu também me cuido. Procuro estar atenta, como uma profissional da saúde, que cuida de pessoas, para que o meu diálogo com os meus clientes possam estar em consonância com minhas práticas cotidianas de cuidados físicos, mentais e espirituais.

Tenho uma preocupação com a minha saúde e de minha família, cuido do meu bem-estar e da minha forma física, para isso tenho uma rotina diária de exercícios aeróbios, musculação, pilates e escolho muito bem os alimentos que entram na minha casa. Para fazer dieta é necessário aumentar o gasto calórico com exercícios e diminuir a ingestão calórica dos alimentos, certo? Sim, mas não é só isso. Infelizmente, a relação corpo e mente não é só matemática, os fatores de sucesso que envolvem mudanças de hábitos alimentares, emagrecimento e mudança de estilo de vida envolvem também os aspectos psicológicos.

A complexa relação mente e cérebro envolvem todos os fenômenos fisiológicos, bioquímicos e neurais que ocorrem entre o nosso corpo e mente. Conhecer o próprio funcionamento psíquico pode contribuir para o alcance de metas de emagrecimento, mudanças de hábitos alimentares e a mudança de um estilo de vida sedentário para um estilo de vida saudável. Inúmeras pessoas encontram dificuldades em promover as mudanças necessárias para um estilo de vida mais saudável, nesse sentido, é importante observar que não adianta só sabermos o que temos que fazer, mas porque não fazemos o que temos que fazer. As razões para que não se faça o que tem que se fazer, em geral são bem complexas, no entanto, sempre envolverá os fatores psíquicos.

Os fatores de personalidade que são desenvolvidas também pelo ambiente, somados à motivação pessoal e a quantidade de ingesta de alimentos, podem ser desenvolvidos na relação materna e paterna, esses aspectos podem estar relacionados como um fator de análise em casos de pacientes obesos. Os indivíduos que se desenvolveram em ambientes mais críticos tendem à uma alta exigência de performance, estes em geral conseguem bons resultados quando acompanhados, o contrário também é verdade, existem os grandes sabotadores dos desejos paternos e maternos, sendo esse um fator importante à ser considerado em casos de manutenção do peso, se esse for um desejo que não seja do próprio indivíduo. Os indivíduos mais adaptados com características mais sociais, podem ter mais facilidades em promover as mudanças de hábitos alimentares e comportamentais. Os aspectos psíquicos como a baixa tolerância à frustração, necessidade de gratificação, temperamentos irritadiços e impulsivos podem estar presentes nos indivíduos que não conseguem manter à dieta.

Um outro ponto importante são os casos de clientes que estão buscando o emagrecimento que possuem de transtornos de humor ou ansiedade, em geral estes conseguem menor perda de peso, principalmente se não estão buscando ajuda médica, nutricional e psicológica. Por esses motivos o acompanhamento psicológico pode ser um diferencial importante na busca de melhores resultados em casos de emagrecimento ou na mudanças de estilo de vida sedentária para uma vida saudável, nesse sentido, eu levo para o meu consultório não só minha filosofia de vida pessoal e experiência, levo para o meu trabalho o foco em grupos terapêuticos e atendimentos individuais em parceria com outros profissionais como médicos, nutricionistas que acreditam que o a equação dieta X emagrecimento vai mais além do que se imagina.recimento

You Might Also Like